domingo, 9 de junho de 2013

RESENHA 15- A Cabana, de William P. Young

É um livro impactante. Tenho que começar essa resenha com esta frase, porque é um puta fato. Ele me fez pensar e repensar e refletir sobre meus atos, falas e até pensamentos ! O autor conseguiu passar a mensagem dele por esse livro... Pelo menos para mim. A Cabana , publicado nos EUA em 2007 e traduzido pela Arqueiro um ano após seu lançamento, em 2008. Ele vai contar a história de Mack Allen Phillips, um homem que um dia resolveu levar seus filhos a uma cabana para se divertirem, mas o que era pra ser um momento de lazer, se tornou um desastre: sua filha foi raptada e assassinada por um maníaco , assassino de menininhas. Desde então atormentado pelo mal, Mack começa a contestar a real intenção de Deus: porque ele não salva sua própria criação ? Porque ele deixa as pessoas morrerem, assim, do nada ? Porque se, ele é tão poderoso, não faz nada para amenizar o sofrimento das pessoas ? Então, Mack recebe um bilhete (supostamente vindo do Todo-Poderoso) para voltar a Cabana. Mack aceita o convite e retorna ao local onde tudo aconteceu. E lá, ele se depara com uma grande surpresa... que eu não vou contar, porque será spoiller, rs.

Este livro foi lido e relido por pessoas religiosas e não religiosas, e o mesmo foi apreciado por ambas. Isso porque o autor, William P. Young, consegue não misturar religião com o assunto do livro. Como ? Explicando: Young fala de Deus, do Espírito Santo e de Jesus , mas não cita nenhuma religião no livro. Ele não fala qual é a religião certa que você deve seguir, a escolha está livre para você. Ele simplesmente apresenta sua visão do que Deus fala. E é interessante acompanhar a viagem de Mack pela Cabana e a cada conversa que ele tem com uma das três trindades, ele vai descobrindo mais sobre o mundo espiritual, o que vai mudando seu conceito de Deus e do mundo, das pessoas.

Por que o meio do livro, ou melhor, o encontro de Mack com Papai, Jesus e Sarayu ficou de certa forma, categórico. Era previsível que para cada experiência viria uma conversa e em cada conversa um ensinamento e pra cada ensinamento uma reação emocionada e pra cada reação emocionada uma realização. Resumindo, o meio do livro foi escrito sem trama. Ficou nítido que Young listou as coisas das quais ele gostaria de compartilhar sua visão em relação ao universo "Deus-você" e foi criando tópicos para explica-las.¹ Se Young tivesse deixado isso de listar as coisas em tópicos implícita, a leitura seria muito menos cansativa para muitos. Se ele tivesse criado situações que no final de cada uma pudéssemos entender uma "moral" , o livro ficaria bem melhor trabalhado.

O livro foi escrito, inicialmente, para 15 amigos de Young. Young enviou o livro para eles, e todos adoraram. Depois, ele enviou o livro para dois produtores de cinema (Wayne Jacobsen e Brad Cummings) e para mais de 25 editoras. Todas as editoras recusaram a publicação do livro. Entretanto, os produtores adoraram o livro, e como nenhuma editora quis publicá-lo, Wayne e Brad criaram sua própria editora e lançaram o livro com um investimento inicial de apenas 300 dólares. O que parecia ser um fracasso para Young, foi um sucesso: O livro começou a vender igual água, todos estavam comentando sobre o livro, a obra de William P. Young avançou as fronteiras e atingiu gente do mundo todo.

Concluindo, A Cabana é um livro para refletir, pensar sobre seus atos, sobre sua vida em todos os aspectos. Para pessoas de todas as religiões, o livro transmite sua mensagem através de conversas entre Mack e Deus, Mack e Jesus, Mack e Sarayu. É um livro bacana, leve e com poucas páginas, especialmente recomendado para quem está meio em cima do muro quanto a religião organizada mas nunca deixou Deus para trás (ou até para aqueles que estão precisando de uma forcinha espiritual neste sentido). Mas se está procurando uma história mais pé-no-chão ou realmente não tenha o mínimo interesse em temas religiosos; passe longe. ²


QUOTES- A Cabana

 "A maioria de nós tem suas próprias tristezas, sonhos partidos e corações feridos, cada um viveu perdas únicas, nossa própria "cabana". Oro para que você encontre a mesma graça que eu recebi lá e que a presença de Papai, Jesus e Sarayu preencha seu vazio interior com alegria indizível"

"E Mack? Bom, ele é um ser humano que continua passando por um processo de mudança, como todos nós. Só que ele aceita bem as mudanças, enquanto que eu muitas vezes resisto a elas. Noto que ele ama mais e melhor do que a maioria das pessoas, é rápido em perdoar e ainda mais rápido em pedir perdão. As transformações que ele sofreu provocaram na família e nos amigos efeitos que nem sempre foram fáceis de entender. Mas devo lhe dizer que nunca conheci outro adulto que leve a vida com tanta simplicidade e alegria. De algum modo, ele virou criança de novo. Ou, para explicar melhor, ele virou a criança que nunca teve permissão de ser. Uma pessoa confiante e cheia de entusiasmo. Ele consegue acolher até mesmo os tons mais escuros da vida, vendo-os como parte de uma tapeçaria incrivelmente rica e profunda, tecida magistralmente por invisíveis mãos de amor."

3 comentários:

  1. Oi, tudo bom?
    Eu gostei muito do livro, acho que a maioria que critica não entende o que o livro quer passar...
    Passando pra te avisar que meu blog, em parceria com a autora FML Pepper e outros 3 blogs, está sorteando um KINDLE!
    Vai perder?
    Beijos
    Endless Poem

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu ainda vou ler esse livro... As opiniões são sempre dividas, mas mesmo assim, quero ler pra tirar minhas prórprias conclusões.
    Beijos,
    http://refugiodarealidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos..acesse o link..www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..

    ResponderExcluir